top of page

Estratégias para um Conselho de Turismo Ativo

Atualizado: 30 de dez. de 2023

Meu ponto de vista com relação aos conselhos de turismo, é clara: necessitam passar urgente por transformações e se isso precisar de reformas na legislação, que sejam feitas. Os conselhos de turismo em sua grande maioria são fracassados e sem o real objetivo para o qual são criados, desviando as oportunidades e propósito

REUNIAO CONSELHO

O diálogo e o alinhamento entre os setores envolvidos, são fundamentais para que se consiga atingir as metas e levar adiante o desafio de melhorar o desempenho turístico,  proporcionando riquezas e qualidade de vida a todos moradores da cidade. Um conselho deve ser tratado como um dos momentos mais importantes no fomento dessa coesão entre população, entidade privada e gestão pública. No entanto, por ausência de informação, organização e outros pontos que levantei no conteúdo "A importância e os desafios dos Conselhos de Turismo", muitos não aproveitam o momento desse encontro, limitando-se a discussões pouco produtivas, muitas vezes políticas e que geram mais conflitos do que debates em torno de ações e soluções para o turismo.


Conselho aos Conselhos


Dizem que se conselho fosse bom, a gente vendia $, contudo meu objetivo aqui é "grátis" e de apenas compartilhar experiencias pessoais, e espero mesmo que presidentes, secretários e membros reflitam sobre essas premissas a fim de aproveitarmos a chance de evoluir e desenvolver melhor e com mais profissionalismo.


Vamos as estratégias:


1. Critérios bem definidos na formação do COMTUR - o ideal é que o conselho seja formado por pessoas de segmentos ligados ao turismo. A união faz a força e obter os bons empresários do setor sentado nas cadeiras de um COMTUR, é vital e estratégico. Isso demonstra força institucional e política o que provoca maior aderência em participar. Quem não quer estar no grupo dos mais fortes?


2. Criar um Programa de Sensibilização sobre o COMTUR - Quando eleito, os membros devem ter a clareza sobre os objetivos e o propósito da existência do grupo. Sugiro uma apresentação bem detalhada sobre a Lei do Conselho Municipal, como e por quem é formado, seu regimento interno e funcionamento. Assim, ninguém se ilude e todos entendem o verdadeiro papel de atuação nas reuniões e principalmente na cidade. 


3. Reuniões e encontros mais criativos e alternados - reuniões sem planejamento de pauta e longas já não funcionam mais. Agendar encontros em locais alternados e de preferência nos estabelecimentos turísticos além de provocar interesse maior dos membros e convidados, promove um city-tour pelo próprio turismo da cidade. E a ausência de uma pauta organizada reduz o estimulo e a participação. Ninguém tem tempo perder, esses encontros precisam ser produtivos. Existem diversas ferramentas pra isso. 


MAOS DADAS

4. Quem é quem na fila do pão - de nada adianta chegar na reuniões do conselho com demandas de outros setores da economia, no entanto, nada impede de fazer os devidos encaminhamentos. No COMTUR é preciso jogar o jogo do TURISMO, e é preciso entender que essa força coletiva funciona como pressão para que o Executivo atenda as devidas demandas e solicitações que devem ser apresentadas pelo Legislativo. Entender e obter uma Agenda Legislativa  torna o Conselho mais eficiente e respeitado.


5. Viajar sim, mas não na maionese - Um assunto que sinto falta nos encontros, são pautas que fomentam o entendimento da atividade turística. Muitos (sem obrigação), mal compreendem os diversos segmentos que engloba a indústria do turismo. Um COMTUR é desenhado para solução de assuntos do mercado turístico, ou seja, negócios que geram eventos que geram turistas. A perda da objetividade e foco é um dos pontos negativos que mais vejo nas reuniões, perdendo o moral e deixando esses encontros desacreditados, com temas fora do contexto. Por isso destaco: a presença de convidados que abordem temas variados de turismo é sempre interessante, atraente e motivador.


Veja bem, um COMTUR não foi feito para resolver todos os problemas da cidade, muito menos ações de visem beneficiar particularidades. Pensar no coletivo e na construção de politicas públicas para todos, deve ser o principal motivo de sua existência.


Pense nisso!


Até a próxima.


Um beijo.


Clau Parra

 
 

Seu comentário é tão importante! Traga suas dúvidas e questionamentos, terei o imenso prazer em respondê-las!


O Login é bem rapidinho e você faz uma única vez.

 

Foi útil pra você esse conteúdo? Então compartilhe as suas redes socais

Comments


bottom of page